Papa convida um grupo de pobres para um almoço de Natal

Em um evento organizado pela Esmolaria Apostólica, em nome do Papa Francisco, um grupo de pobres assistidos pela Diocese de Roma terão um almoço de Natal oferecido pelos atletas do Grupo Esportivo “Fiamme Gialle”

Cidade do Vaticano

A Esmolaria Apostólica, em nome do Papa Francisco, convidou um grupo de pobres para um almoço de Natal, a ser realizado na próxima terça-feira, 18 de dezembro, oferecido pelos atletas do Grupo Esportivo “Fiamme Gialle”, (uma estrutura da Polícia Fiscal italiana).Ouça e compartilhe

Os atletas irão cozinhar

Os pobres são assistidos pela Cáritas da Diocese de Roma. Na ocasião os próprios atletas irão cozinhar e servir as mesas dos hóspedes. Com o objetivo de compartilhar com todos um dia de festa, marcado pela diversão que o esporte pode oferecer em um clima de família, também com presentes simbólicos.

A iniciativa foi promovida pela Athletica Vaticana, a representação atlética da Santa Sé, com a intenção de relançar o apelo do Papa Francisco de viver o Natal priorizando a solidariedade e a atenção concreta às pessoas mais necessitadas. E é um testemunho de caridade e fraternidade através da linguagem do esporte que, por sua natureza, prevê a inclusão e o respeito da dignidade dos mais necessitados.

Fonte: Vaticano News
Anúncios

Novidades! 15-12-2018

Duas propostas de actividades para o Advento: uma ficha de actividades e uma actividade construir um cata-vento com os diversos tempos litúrgicos (veja em Actividade para o Advento – Vamos construir o Cata-Vento do Tempo Litúrgico e Actividade para o Advento – Ficha de Actividades). Consulte a secção Dinâmicas e Actividades, na sub-secção Actividades Litúrgicas.

Aviso desde já, que a partir de dia 20 até 31 de Dezembro, não actualizarei o blog com a mesma frequência. 

Novidades! 12-12-2018

Video “De onde vêm os nossos pecados?” apropriado para os meninos que fazem a sua Primeira Comunhão. Consulte a secção de material do 3º ano, na sub-secção Videos.

Ficheiro word com uma catequese sobre o tema da liberdade e responsabilidade, que inclui também uma actividade sobre este mesmo tema (ver em Liberdade e Responsabilidade). Consulte a secção do 7º ano.

Ficheiro Mp3 para os cânticos “Recebe em tuas mãos”, “São José Amparo e Guia”, “Senhor aqui nos tendes”, “Senhor ensina-me a viver”, “Senhor Jesus (Taizé)”, “Senhor vos ofertamos”, “Serás a Força” e “Somos um povo que caminha” e ainda acordes para os cânticos “Senhor vos ofertamos” e “Serás a Força”. Consulte a secção Cânticos.

Para reflectir e pensar…

Todos os dias recebo a newsletter do jornal Público e hoje deparei-me com uma reportagem que dá muito que pensar a cada de nós e resolvi partilhar convosco.

«Ser pobre em Portugal: “Não me lembro da última vez que comi bacalhau”

Em casa de Antónia não há aquecedores: usam-se mantas. Ela nunca conseguiu dar aos filhos o que os pais lhe deram: férias de um mês no Algarve. E a filha mais nova contou-lhe que escolheu um curso socio-profissional para não terem de gastar dinheiro com livros.

O marido, “Filipe”, explica porquê: “Sinto que não há direito. É roubar-lhes recursos, recursos que eu nunca tive.” Filipe, filho de trabalhadores rurais, teve de se tornar o sustento da casa onde vivia com os pais. “Quando nos casámos, no primeiro mês ele ainda entregou o dinheiro à mãe. E isso ficou sempre com ele: ‘Com os meus filhos não vai acontecer’”, comenta Antónia.

Além dos três filhos, no apartamento de quatro assoalhadas, em Évora, também vive o namorado da filha. Estão de casamento marcado. Ele já é da família.

Continuar a ler

Rezar pela missão da Igreja

O mês de Dezembro, na liturgia da Igreja, faz-nos viver a riqueza de duas atitudes: a espera e a surpresa. O Advento, como tempo de «endireitar as veredas» (Mt 3, 3) do coração, faz com que a nossa vida seja um lugar de constante conversão. Primeiro, a Deus e à fecundidade do Evangelho do seu Filho Jesus que transforma a vida e, segundo, ao olhar o rosto dos nossos irmãos e irmãs como o lugar onde o amor a Deus se concretiza. A espera do nascimento de Jesus conduz-nos, assim, à surpresa de ver, ouvir e tocar o próprio Deus na pequenez e fragilidade de um recém-nascido. Por consequência, converter-se a Deus resulta numa conversão aos nossos irmãos, que são presença d’Ele entre nós, em especial os mais frágeis. 

O Natal, deste modo, não se resume à festa do nascimento de Jesus, mas inicia-nos numa celebração da presença de Deus entre nós, todos os dias e a cada momento. Quando o Papa Francisco nos pede este mês por todos os que transmitem a fé, para que tenham uma linguagem adaptada à cultura de hoje, devemos assumir este compromisso como nosso. A linguagem da fé que transmitimos é a atitude que espera e abraça a surpresa de Jesus que vem ao nosso encontro em cada pessoa que encontrarmos. 

Ao terminar o ano, também temos o coração cheio de alegria e gratidão pela ajuda que Deus é na vida de todos os que o seguem em todo o mundo. Somos uma família que espera e acolhe os desafios que o Papa Francisco coloca à nossa oração e ação. Cada vez que nos unimos a Jesus e ao seu Coração, oferecendo a nossa vida pelas intenções do Santo Padre, estamos a renovar o desejo de O amar nas pessoas que habitam os presépios de hoje.