«A Catequese só evolui com as famílias presentes», Rita Santos

Rita e João Pedro Santos são do Algueirão, uma paróquia do Patriarcado de Lisboa, participaram no Congresso Internacional da Catequese, que reuniu no Vaticano de 8 a 10 de setembro mais de mil e quatrocentos catequistas de oitenta e dois países.

“É importante conhecermos outras realidades e não ficarmos fechados na nossa realidade, no nosso país, na nossa diocese, na nossa paróquia. São sempre oportunidades para conhecermos outras pessoas, outras formas de pensar, outras estratégias. Não nos podemos acomodar ao ‘sempre foi feito assim’ e temos de descobrir novos caminhos. É isso que a Igreja, e em concreto o Papa Francisco, nos pede”, começa por revelar João Pedro Santos ao EDUCRIS.

Na celebração do seu 14º aniversário de casamento Rita Santo sustenta que “o itinerário da catequese só vai ser possível com as famílias”.

“Estamos em casal, aqui em Roma, para mostrar que m família é possível. A catequese e a evolução da catequese, só vai ser possível com as famílias cada vez mais presentes”, desenvolve.

“A catequese tem d deixar de ser o local onde estão só as crianças, mas onde vêm os pais e participam e estão connosco. A Igreja cresce e crescerá sempre em família”, completa Rita Santos.

João Pedro, um catequista que colaborou no projeto «Catequese em nossa Casa», durante os confinamentos de 2020, aponta as “boas práticas” que já se praticam no Algueirão.

“Na paróquia desafiamos os namorados os noivos da paróquia a não desaparecerem quando casam. Infelizmente ainda temos esta tendência e, na paróquia, procuramos desafiá-los a continuar o serviço à Igreja”.

Como casal reconhecem que a pandemia “afastou um pouco as pessoas” e apontam “a preguiça, o ficar em casa” como um dos principais fatores do afastamento dos tantos.

“Ficámos preguiçosos, habituámo-nos a ficar em casa e dá trabalho sair para servir e para levar Jesus aos outros. Mas há que olhar para dentro, voltar a reunir as comunidades, mostrar a importância de estarmos juntos, e não sozinhos em nossa casa, para sermos testemunhas do amor de Deus”.

Numa altura em que a Conferência Episcopal Portuguesa publicou o «Itinerário de Iniciação à Vida Cristã das Crianças e dos Adolescentes com as Famílias» o casal sustenta a necessidade de reforçar “a formação” dos agentes de catequeses e acreditam que “este é o grande desafio”.

“Devemos ter esperança. A Igreja já foi constituída por doze vejamos como cresceu”, concluem.

Fonte: Educris