No dia da Sagrada Família, a solidariedade do Papa a quem perdeu familiares na pandemia

Após rezar o Angelus, ao saudar as famílias, grupos e fiéis que acompanham pelos meios de comunicação, o Santo Padre dirigiu seu pensamento em particular “às famílias que nos últimos meses perderam um familiar ou foram provadas pelas consequências da pandemia. Penso também nos médicos, enfermeiras e todo o pessoal de saúde cujo grande empenho na linha de frente do combate à propagação do vírus teve repercussões significativas na vida familiar”. O Papa também confiou ao Senhor “todas as famílias, especialmente as mais provadas pelas dificuldades da vida e pelas feridas da incompreensão e da divisão. O Senhor, nascido em Belém, conceda a todas a serenidade e a força para caminharem unidos no caminho do bem”.

Fonte: Canal de YouTube – Vatican News

Papa Francisco: A inteligência artificial

Você sabe quanto a inteligência artificial vai mudar sua vida? Muito? Não. Muito mais do que você pode imaginar, embora também isso dependa de onde você mora. Carros sem motoristas, robôs em sua casa, drones que transportam pacotes pelas ruas… Tudo isso já faz parte do nosso mundo. É o presente, não o futuro. Os limites da inteligência artificial e da robótica são difíceis de imaginar. Portanto, também devemos estar cientes dos perigos que seus avanços podem trazer: desigualdade de oportunidades, discriminação, etc. Que o desejo expresso pelo Papa Francisco na encíclica Fratelli tutti seja realizado! “Como seria bom se, ao aumento das inovações científicas e tecnológicas, correspondessem também uma equidade e uma inclusão social cada vez maior!”

Dia Mundial do Migrande do Refugiado | “Forçados como Jesus Cristo a fugir”

(este video será publicado no blog nas secções da catequese da adolescência)

Um mês depois do Dia Mundial do Migrante e do Refugiado (DMMR) a Santa Sé assinala a data recordando, em vídeo, as palavras do Papa Francisco e um testemunho do padre Jalal Yako, missionário rogacionista iraquiano, que trabalha em contacto direto com os deslocados internos no campo de refugiados de Erbil, no Iraque.

“Ainda ressoam em nós as palavras do Santo Padre  em favor dos migrantes e refugiados e de todas as pessoas que lhes prestam ajuda”, lê-se no comunicado da secção enviado hoje ao EDUCRIS.

“Para recordamos juntos os momentos mais belos deste Dia, enviamos um novo vídeo com as palavras pronunciadas pelo Papa Francisco e com o testemunho pessoal do Padre Jalal Yako, missionário rogacionista iraquiano, que trabalha em contacto direto com os deslocados internos e relata a sua experiência no campo de Erbil”, sustenta a missiva.

Todo o material produzido pela Secção Migrantes e Refugiados durante a campanha de comunicação em preparação do DMMR continua a ser atual e está à disposição no sítio internet da Secção.

Fonte: Educris

Papa Francisco: Mulheres nas instâncias de responsabilidade da Igreja

Pelo batismo, todos somos chamados a ser discípulos missionários do Senhor. Muitas mulheres, respondendo a este chamado, mantêm a Igreja de pé em todo o mundo, com admirável dedicação e fervorosa fé. É o que reconhece o Santo Padre ao propor “que as mulheres tenham uma participação real e eficaz na organização, nas decisões mais importantes e na orientação das comunidades, mas sem deixar de fazê-lo com o estilo de sua marca feminina”. Não é a primeira vez que ele insiste em que as mulheres ocupem cargos de responsabilidade na Igreja e participem de seus organismos de decisão.

“Ninguém foi batizado sacerdote ou bispo. Não. Todos nós fomos batizados como leigos.

Leigos e leigas são protagonistas da Igreja.

Hoje é especialmente necessário ampliar os espaços com presença feminina relevante na Igreja.

E com presença leiga se entende, mas sublinhando o feminino, porque as mulheres costumam ser deixadas de lado.

Devemos promover a integração das mulheres nos lugares onde são tomadas decisões importantes.

Rezemos para que, em virtude do batismo, os fiéis leigos, e as mulheres de modo especial, participem mais das instâncias de responsabilidade da Igreja, sem cair em clericalismos que anulem o carisma laical.”

Papa Francisco: Respeito pelos recursos do planeta

“Temos que nos convencer de que desacelerar um determinado ritmo de produção e consumo pode conduzir a outro modo de progresso e desenvolvimento” . O Papa Francisco nos diz que é impossível manter o nível atual de consumo nos países mais desenvolvidos à custa da exploração dos recursos naturais do restante do planeta. Temos que abandonar o hábito do descarte e acabar com os desequilíbrios comerciais que têm tantas consequências ruins para a ecologia.

Continuar a ler

Papa Francisco: O mundo do mar

Nossa sociedade depende, provavelmente muito mais do que podemos imaginar, do trabalho árduo das pessoas do mar e de suas famílias, que precisam enfrentar não apenas os perigos da natureza – tempestades, furacões… – mas também ameaças, como dos piratas. O Papa Francisco resume muito claramente a importância do trabalho de marinheiros e pescadores: “Sem os trabalhadores do mar, a economia iria parar”.

“A vida do marinheiro, do pescador e das suas famílias é muito dura.

Às vezes, está marcada pelo trabalho forçado ou pelo abandonado em portos distantes. A concorrência da pesca industria e a poluição tornam o seu trabalho ainda mais complicado.

Sem os trabalhadores do mar, muitas partes do mundo passariam fome.

Rezemos por todas as pessoas que trabalham e vivem do mar, entre eles os marinheiros, os pescadores e suas famílias.”

Papa Francisco: As nossas famílias

Francisco pede orações pelas famílias e pede aos estados medidas concretas de proteção

Este mês, o Papa pede aos Estados que protejam as famílias, sobretudo em momentos difíceis como o que vivemos. Na edição de julho de O Vídeo do Papa, Francisco chama a atenção para a realidade das famílias de hoje e para a necessidade de serem “acompanhadas com amor, respeito e conselho”.Francisco lembra os “muitos perigos que as famílias sentidos pelas famílias hoje” com destaque para o ritmo de vida, o stress, a dificuldade em brincar e gastar tempo com os filhos”.À Igreja o papa pede o trabalho “de animar e estar ao lado das famílias” ajudando-as a “descobrir caminhos que lhes permitam superar as dificuldades”.

Francisco desafia os estados a terem um papel de “proteção” às famílias do mundo inteiro.

Em Portugal o Apostolado da Oração – Rede Mundial de Oração do Papa, divulga estas intenções e reza por elas. São cerca de 40 milhões de pessoas no mundo inteiro.

Fonte: Educris

Papa Francisco: Compaixão pelo mundo

Muitas pessoas sofrem no mundo. Não apenas por causa da pandemia que estamos enfrentando. Como Francisco disse no mês passado, também devido a outras pandemias, como “a pandemia das guerras, da fome e muitas outras” (14/05/2020). O que podemos fazer? Como não cair na indiferença? O Papa nos mostra o caminho: compaixão. É a melhor ajuda que podemos oferecer-lhes, com nossa oração e vida, aproximando-as do Coração de Jesus para que Ele possa transformar suas vidas.

“Muitas pessoas sofrem pelas graves dificuldades que padecem.

Nós podemos ajudá-las, acompanhando-as por um caminho cheio de compaixão que transforma a vida das pessoas e as aproxima do Coração de Cristo, que nos acolhe a todos na revolução da ternura.

Rezemos para que aqueles que sofrem encontrem caminhos de vida, deixando-se tocar pelo Coração de Jesus.”