Ao amor não lhe interessa se o irmão ferido vem daqui ou dacolá

Ao amor não lhe interessa se o irmão ferido vem daqui ou dacolá. Com efeito, é o amor que rompe as cadeias que nos isolam e separam, lançando pontes; amor que nos permite construir uma grande família onde todos nos podemos sentir em casa.

in Fratelli tutti (Papa Francisco)

Papa Francisco: Promoção da paz no mundo

Nenhuma religião convida à guerra, nem ao ódio ou à violência. Ao contrário, convidam-nos a defender os valores da paz e da fraternidade humana. Em contrapartida, o diálogo e a compreensão entre os seres humanos são parte essencial de seus ensinamentos que somos convidados a seguir. “Num mundo dividido e fragmentado, quero convidar à reconciliação e à fraternidade entre todos os que creem e também entre todas as pessoas de boa vontade. A nossa fé leva-nos a difundir os valores da paz, da convivência, do bem comum. Rezemos para que os cristãos, os que seguem outras religiões e as pessoas de boa vontade promovam juntos a paz e a justiça no mundo. Obrigado.”

O Papa: que 2021 seja um ano de solidariedade fraterna e de paz para todos

“Começamos o Ano Novo colocando-nos sob o olhar materno e amoroso de Maria Santíssima, que a liturgia hoje celebra como a Mãe de Deus”, disse Francisco no Angelus, recordando que “os dolorosos acontecimentos que marcaram o caminho da humanidade no ano transcorrido, especialmente a pandemia, nos ensinam como é necessário interessar-se pelos problemas dos outros e compartilhar suas preocupações”.

O Papa Francisco conduziu a oração mariana do Angelus, nesta sexta-feira (1º/01), Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, e Dia Mundial da Paz, da Biblioteca do Palácio Apostólico.

Começamos o Ano Novo colocando-nos sob o olhar materno e amoroso de Maria Santíssima, que a liturgia hoje celebra como a Mãe de Deus. Desta forma retomamos nosso caminho pelas veredas do tempo, confiando nossas angústias e nossos  tormentos Àquela que pode fazer todas as coisas. Maria nos olha com ternura materna, assim como olhava para seu Filho Jesus. Se olharmos para o Presépio, vemos que Jesus não está no berço. Disseram-me que Nossa Senhora disse: “Deixem-me segurar um pouco no colo este meu filho?” Assim faz Nossa Senhora conosco: quer nos segurar em seus braços para nos proteger como ela protegeu e amou o seu Filho.

Continuar a ler

No dia da Sagrada Família, a solidariedade do Papa a quem perdeu familiares na pandemia

Após rezar o Angelus, ao saudar as famílias, grupos e fiéis que acompanham pelos meios de comunicação, o Santo Padre dirigiu seu pensamento em particular “às famílias que nos últimos meses perderam um familiar ou foram provadas pelas consequências da pandemia. Penso também nos médicos, enfermeiras e todo o pessoal de saúde cujo grande empenho na linha de frente do combate à propagação do vírus teve repercussões significativas na vida familiar”. O Papa também confiou ao Senhor “todas as famílias, especialmente as mais provadas pelas dificuldades da vida e pelas feridas da incompreensão e da divisão. O Senhor, nascido em Belém, conceda a todas a serenidade e a força para caminharem unidos no caminho do bem”.

Fonte: Canal de YouTube – Vatican News

Papa anuncia ano «Família Amoris Laetitia»

Iniciativa realiza-se de 19 Março 2021 e termina a 26 Junho 2022 com o Encontro Mundial de Famílias no Vaticano.

O Papa Francisco anunciou hoje, durante a reflexão que antecede a recitação do Ângelus, a realização de um ano especial «Família Amoris Laetitia» assinalando os cinco anos da publicação da Exortação Apostólica Amoris Laetitia sobre a beleza e a alegria do amor familiar.

“O exemplo de evangelizar com a família é o convite da festa que celebramos hoje e volta a apresentar-nos o amor conjugal e familiar, tal como está sublinhado na Exortação Aposólica Amoris Laetitia, cuj quinto aniversário de promulgação ocorre no próximo dia 19 de março de 2021. Será um ano de reflexão sobre a Amoris Laetitia e uma oportunidade de aprofundar os conteudos do documento”, sublinhou.

Promovido pelo próprio Papa o ano pretende “chegar a todas as famílias do mundo por meio de várias propostas de caráter espiritual, pastoral e cultural, a serem realizadas nas paróquias, dioceses, universidades, no contexto dos movimentos eclesiais e das associações familiares”, anuncia o Dicastério para os Leigos, Família e e a Vida em comunicado.

“O objetivo é oferecer à Igreja oportunidades de reflexão e estudo para viver concretamente a riqueza da exortação apostólica Amoris Laetitia” tomando como ponto de partida “o papel central da família como Igreja doméstica e a importância dos laços comunitários entre as famílias, evidenciados pela pandemia, e que transformam a Igreja numa “autêntica ‘família de famílias'”.

Continuar a ler

Carta Apostólica Patris corde

CARTA APOSTÓLICA PATRIS CORDE DO PAPA FRANCISCO

POR OCASIÃO DO 150º ANIVERSÁRIO DA DECLARAÇÃO DE SÃO JOSÉ COMO PADROEIRO UNIVESAL DA IGREJA

Com coração de pai: assim José amou a Jesus, designado nos quatro Evangelhos como «o filho de José».[1]

Os dois evangelistas que puseram em relevo a sua figura, Mateus e Lucas, narram pouco, mas o suficiente para fazer compreender o género de pai que era e a missão que a Providência lhe confiou.

Sabemos que era um humilde carpinteiro (cf. Mt 13, 55), desposado com Maria (cf. Mt 1, 18; Lc 1, 27); um «homem justo» (Mt 1, 19), sempre pronto a cumprir a vontade de Deus manifestada na sua Lei (cf. Lc 2, 22.27.39) e através de quatro sonhos (cf. Mt 1, 20; 2, 13.19.22). Depois duma viagem longa e cansativa de Nazaré a Belém, viu o Messias nascer num estábulo, «por não haver lugar para eles» (Lc 2, 7) noutro sítio. Foi testemunha da adoração dos pastores (cf. Lc 2, 8-20) e dos Magos (cf. Mt 2, 1-12), que representavam respetivamente o povo de Israel e os povos pagãos.

Continuar a ler

Papa Francisco: A inteligência artificial

Você sabe quanto a inteligência artificial vai mudar sua vida? Muito? Não. Muito mais do que você pode imaginar, embora também isso dependa de onde você mora. Carros sem motoristas, robôs em sua casa, drones que transportam pacotes pelas ruas… Tudo isso já faz parte do nosso mundo. É o presente, não o futuro. Os limites da inteligência artificial e da robótica são difíceis de imaginar. Portanto, também devemos estar cientes dos perigos que seus avanços podem trazer: desigualdade de oportunidades, discriminação, etc. Que o desejo expresso pelo Papa Francisco na encíclica Fratelli tutti seja realizado! “Como seria bom se, ao aumento das inovações científicas e tecnológicas, correspondessem também uma equidade e uma inclusão social cada vez maior!”

Dia Mundial do Migrande do Refugiado | “Forçados como Jesus Cristo a fugir”

(este video será publicado no blog nas secções da catequese da adolescência)

Um mês depois do Dia Mundial do Migrante e do Refugiado (DMMR) a Santa Sé assinala a data recordando, em vídeo, as palavras do Papa Francisco e um testemunho do padre Jalal Yako, missionário rogacionista iraquiano, que trabalha em contacto direto com os deslocados internos no campo de refugiados de Erbil, no Iraque.

“Ainda ressoam em nós as palavras do Santo Padre  em favor dos migrantes e refugiados e de todas as pessoas que lhes prestam ajuda”, lê-se no comunicado da secção enviado hoje ao EDUCRIS.

“Para recordamos juntos os momentos mais belos deste Dia, enviamos um novo vídeo com as palavras pronunciadas pelo Papa Francisco e com o testemunho pessoal do Padre Jalal Yako, missionário rogacionista iraquiano, que trabalha em contacto direto com os deslocados internos e relata a sua experiência no campo de Erbil”, sustenta a missiva.

Todo o material produzido pela Secção Migrantes e Refugiados durante a campanha de comunicação em preparação do DMMR continua a ser atual e está à disposição no sítio internet da Secção.

Fonte: Educris

Papa Francisco: Mulheres nas instâncias de responsabilidade da Igreja

Pelo batismo, todos somos chamados a ser discípulos missionários do Senhor. Muitas mulheres, respondendo a este chamado, mantêm a Igreja de pé em todo o mundo, com admirável dedicação e fervorosa fé. É o que reconhece o Santo Padre ao propor “que as mulheres tenham uma participação real e eficaz na organização, nas decisões mais importantes e na orientação das comunidades, mas sem deixar de fazê-lo com o estilo de sua marca feminina”. Não é a primeira vez que ele insiste em que as mulheres ocupem cargos de responsabilidade na Igreja e participem de seus organismos de decisão.

“Ninguém foi batizado sacerdote ou bispo. Não. Todos nós fomos batizados como leigos.

Leigos e leigas são protagonistas da Igreja.

Hoje é especialmente necessário ampliar os espaços com presença feminina relevante na Igreja.

E com presença leiga se entende, mas sublinhando o feminino, porque as mulheres costumam ser deixadas de lado.

Devemos promover a integração das mulheres nos lugares onde são tomadas decisões importantes.

Rezemos para que, em virtude do batismo, os fiéis leigos, e as mulheres de modo especial, participem mais das instâncias de responsabilidade da Igreja, sem cair em clericalismos que anulem o carisma laical.”

Encíclica “Fratelli tutti” sobre a fraternidade e a amizade social

1. «FRATELLI TUTTI»:[1] escrevia São Francisco de Assis, dirigindo-se a seus irmãos e irmãs para lhes propor uma forma de vida com sabor a Evangelho. Destes conselhos, quero destacar o convite a um amor que ultrapassa as barreiras da geografia e do espaço; nele declara feliz quem ama o outro, «o seu irmão, tanto quando está longe, como quando está junto de si».[2] Com poucas e simples palavras, explicou o essencial duma fraternidade aberta, que permite reconhecer, valorizar e amar todas as pessoas independentemente da sua proximidade física, do ponto da terra onde cada uma nasceu ou habita.

2. Este Santo do amor fraterno, da simplicidade e da alegria, que me inspirou a escrever a encíclica Laudato si’, volta a inspirar-me para dedicar esta nova encíclica à fraternidade e à amizade social. Com efeito, São Francisco, que se sentia irmão do sol, do mar e do vento, sentia-se ainda mais unido aos que eram da sua própria carne. Semeou paz por toda a parte e andou junto dos pobres, abandonados, doentes, descartados, dos últimos.

Continuar a ler

Papa Francisco: Respeito pelos recursos do planeta

“Temos que nos convencer de que desacelerar um determinado ritmo de produção e consumo pode conduzir a outro modo de progresso e desenvolvimento” . O Papa Francisco nos diz que é impossível manter o nível atual de consumo nos países mais desenvolvidos à custa da exploração dos recursos naturais do restante do planeta. Temos que abandonar o hábito do descarte e acabar com os desequilíbrios comerciais que têm tantas consequências ruins para a ecologia.

Continuar a ler